NewsletterGoogle PlusTwitter Facebook

Publicado em:
16
5/2017

Entrevista – Fabio Castro diretor da EXPOCATÓLICA

Fábio Castro é diretor da PROMOCAT, agência especializada no segmento católico e responsável pela realização da EXPOCATÓLICA – Feira de Produtos e Serviços para Igrejas.

Durante a NATAL SHOW, Fábio vai ministrar a palestra “A Estrutura da Igreja Católica no Brasil e as Possibilidades de Negócios”, no dia 27 de maio, dentro do Encontro da Indústria de Artigos Religiosos. Nesta entrevista, o especialista fala sobre o potencial de mercado deste setor e como os empresários podem se preparar para atendê-lo.

Quanto o segmento de produtos e serviços existentes para atender as demandas da Igreja Católica movimenta anualmente?

Não há um registro seguro dessas informações. Estima-se que o mercado de produtos religiosos no Brasil, entre todas as religiões, movimenta cerca de 20 bilhões em produtos e serviços para o fomento da fé, além de demandas para construção e manutenção dos templos e igrejas. 70% disso é relacionado à fé católica.

É muito amplo. No que se refere somente à Igreja Católica, esse segmento de subdivide em vários nichos, como a educação, com aproximadamente três mil colégios e faculdades, o turismo religioso, a construção de igrejas, incluindo aí móveis e equipamentos, a música e os livros e artigos de devoção

Como um empresário pode se preparar para entrar nesse mercado?

Primeiramente conhecendo a fé e a religiosidade, mesmo que não a pratique. Marketing, necessariamente, exige alto conhecimento do mercado em que se atua. Ademais, questões culturais do target são relevantes. Católicos e evangélicos têm cultura de consumo diferentes.

Além de oferecer um bom atendimento e produtos de qualidade, quais outros diferenciais são necessários para atender esse segmento?

É difícil manter-se nesse segmento se a empresa ou o empresário se não identificar com ele. O fator da propriedade da marca, ou seja, quem produz o que se vende, é extremamente importante.

De que forma eventos de negócios (como o Salão de Artigos Religiosos e a ExpoCatólica) ajudam a impulsionar o mercado?

Ajudam muito e de diversas formas. Destaco a capacidade que esses eventos têm de modelar o mercado e seus agentes. As feiras proporcionam o conhecimento do mercado, de seus agentes e de seus produtos. E isso impulsiona a qualificação dos profissionais e dos produtos ofertados. Além disso, o treinamento desses agentes é primordial para o fortalecimento do mercado. Isso sem falar da capacidade de ampliação da cadeia de distribuição.

O segmento católico é um mercado em expansão? Ainda há novas oportunidades de negócios? Quais?

O segmento em si é restrito às igrejas e a lojas de artigos religioso, o que já é bem grande. Calcula-se que, somente a igreja católica possua mais de 200 mil igrejas em comunidades paroquiais.

O que mais alavanca negócios é o cruzamento de segmentos, ou seja, lojas de presentes, por exemplo, encontram nas indústrias de artigos religiosos uma infinidade de produtos que ainda não vendem e que não encontra somente no segmento de presentes. O contrário também acontece, pois as igrejas encontram no segmento de Natal, por exemplo, uma quantidade de produtos que o segmento religioso não oferta. Penso que os dois segmentos, religiosos e de presentes, sobretudo natalinos, se completam.

Fonte: Primeira Página